Estudos científicos sobre o CBD para a pele

Cosméticos naturais

CBD para a pele: efeitos e benefícios

Neste post mostramos-lhe uma extensa revisão de estudos científicos sobre o CBD para a pele e descobrirá o potencial deste ingrediente cosmético inovador que já pode encontrar em cremes de CBD, séruns de CBD e todo o tipo de cosméticos e outras preparações dermatológicas que o incorporam.

Recordamos que se trata de um artigo informativo que tem como objetivo levar ao público em geral as informações actuais disponíveis nos estudos científicos. Não se destina a tratar ou prevenir qualquer doença. Consulte o seu médico especialista antes de utilizar o CBD.

O que é o CBD e como afecta a pele?

O CBD ou canabidiol é um composto não psicoativo obtido a partir da planta do cânhamo(Cannabis sativa). Os seus efeitos no corpo humano centram-se na ativação do sistema endocanabinóide que tem efeitos sobre a saúde e a beleza da pele.

As provas científicas actuais apoiam a utilização tópica do CBD para doenças da pele, principalmente eczema, psoríase, prurido e condições inflamatórias como a dermatite. O CBD também é utilizado para complementar ou melhorar o efeito dos cosméticos.

Ver cosméticos com CBD

O sistema endocanabinóide da pele

O mundo da cosmética e da medicina já se apercebeu da importância do sistema endocanabinóide para a beleza e a saúde da pele.

Para aqueles que ainda não estão familiarizados com este termo, o sistema endocanabinóide é uma rede de sinalização química que se encontra distribuída por todo o corpo. O funcionamento deste sistema de comunicação celular é complexo e gera ainda muitas incógnitas, mas sabe-se que desempenha um papel fundamental no equilíbrio natural ou na homeostasia dos tecidos, incluindo a pele.

As funções mais investigadas do sistema endocanabinóide são os seus efeitos no sistema nervoso e nas células imunitárias. Por conseguinte, em maior ou menor grau, as aplicações potenciais deste composto para a dor crónica, a fibromialgia ou a insónia foram levadas ao conhecimento do público em geral.

No entanto, é menos conhecido o facto de investigações recentes indicarem que o sistema endocanabinóide desempenha um papel crucial na homeostase da pele e que o seu desequilíbrio está ligado a doenças cutâneas como a dermatite atópica, o prurido, a acne, o crescimento do pelo, a alopecia e a hiper ou hipopigmentação.

Sistema endocanabinóide da pele
Diagrama do sistema endocanabinóide da pele. Adaptado de: Baswan, Sudhir M et al.

Em que células da pele actuam os canabinóides?

Os canabinóides actuam em diferentes estruturas da pele:

  • Os queratinócitos, que são as células predominantes da pele.
  • Fibroblastos, fibras que dão elasticidade à pele.
  • Fibras nervosas cutâneas, que conferem sensibilidade ao tecido.
  • Melanócitos, células da pele que sintetizam a melanina e são responsáveis pela pigmentação.
  • Folículo piloso, envolvido no crescimento do cabelo.
  • Glândulas sudoríparas, responsáveis por manter a pele húmida.

Mais especificamente, os endocanabinóides estão presentes nos queratinócitos e nos fibroblastos (fibras da pele) e exercem efeitos moduladores sobre estas células. Os receptores canabinóides CB1 e CB2 estão presentes nos queratinócitos, nas fibras nervosas da pele, nos melanócitos, nas glândulas sudoríparas e nos folículos pilosos.

Os endocanabinóides estão envolvidos na neuroprotecção, analgesia e inflamação da pele.

Efeitos do CBD ou canabidiol nas afecções cutâneas

O tratamento tópico com canabinóides, como cremes e óleos de CBD, pode ser um remédio eficaz para certas condições dermatológicas e como agente cosmético:

Benefícios do canabidiol CBD para a pele
Potenciais benefícios do CBD para a pele. O CBD é um agente cosmético reconhecido. Adaptado de: Baswan, Sudhir M et al. “Potencial terapêutico do canabidiol (CBD) para a saúde e doenças da pele”.

O CBD reforça a barreira cutânea

O CBD protege a pele do envelhecimento prematuro, estimulando a sua função de barreira natural, mantendo-a mais jovem, mais bem cuidada e hidratada.

A principal causa do envelhecimento prematuro da pele é a deterioração dos queratinócitos, as células principais da epiderme. Os queratinócitos são sensíveis ao stress oxidativo causado por diferentes factores ambientais, como a exposição solar, a poluição, a secura ou o frio.

Os queratinócitos da nossa pele têm os seus próprios mecanismos de defesa contra estes agentes oxidantes, principalmente através da libertação de substâncias antioxidantes e anti-inflamatórias.

Em estudos in vitro, o CBD em uso tópico demonstrou ser capaz de penetrar nas células da pele e estimular os sistemas de defesa natural dos queratinócitos.

O CBD também protege a integridade da membrana celular, reduzindo a oxidação dos ácidos gordos polinsaturados que a constituem. Traduzindo, o CBD previne o envelhecimento prematuro da pele.

Outro mecanismo pelo qual o CBD actua na pele é a ativação nos fibroblastos de todos os factores relacionados com a proteção celular, estimulando a produção de substâncias com propriedades anti-inflamatórias, antioxidantes e anti-apoptóticas(fonte).

Isto faz do CBD um ingrediente cosmético e dermatológico promissor para todas as doenças da pele que envolvam inflamação e distúrbios da queratina, como a dermatite atópica ou o eczema.

Óleo corporal com CBD Grapefruit. Aplicar topicamente com massagens circulares sobre a pele.

Experimente também o nosso sérum de CBD e Ácido Hialurónico com ingredientes específicos para cuidados faciais.

CBD para a dermatite atópica ou eczema

A dermatite atópica é uma doença inflamatória crónica da pele, de causa multifatorial, cujo tratamento se centra na utilização de medicamentos anti-inflamatórios tópicos, como os corticosteróides. Os canabinóides, devido às suas propriedades anti-inflamatórias, são propostos como uma terapia para modular a resposta inflamatória da pele.

Os cremes derivados de endocanabinóides são já utilizados no tratamento da dermatite atópica ligeira, como o Adelmidrol, derivado da PEA (palmitoiletanolamida, um endocanabinóide).

No que diz respeito aos fitocanabinóides, existem algumas evidências científicas sobre as propriedades anti-inflamatórias do CBD em uso tópico em modelos experimentais de dermatite, mas faltam estudos clínicos que validem a sua eficácia.

Um pequeno estudo clínico revelou que o CBD alivia a comichão e a perda de sono associadas à dermatite atópica.

CBD em cremes para alívio da dor

Um dos domínios em que o CBD é mais utilizado é no mundo dos cremes de massagem para as dores, quer sejam reumáticas ou traumáticas.

O tecido lesionado produz uma resposta inflamatória na área afetada, necessária para a cicatrização, resultando em inchaço, irritação e aumento da sensibilidade na área. No entanto, quando esta condição inflamatória se torna crónica, pode levar a neuropatias, lesões e dor crónica, o que diminui a qualidade de vida dos doentes.

As terapias actuais para a dor centram-se no sistema nervoso central e periférico, com base em antidepressivos, AINEs e anticonvulsivos. O problema desta abordagem terapêutica é que expõe o doente crónico aos possíveis efeitos secundários dos medicamentos(fonte, fonte).

Foi demonstrado que o tratamento com canabinóides tópicos reduz a inflamação periférica, sem os efeitos secundários dos medicamentos analgésicos. Um estudo clínico sobre o CBD aplicado topicamente para o tratamento da dor mostra as suas propriedades promissoras neste domínio.

É de referir que, para estas aplicações, o composto é também estudado por via oral. Neste domínio, os estudos pré-clínicos indicam claramente que a toma de canabinóides reduz a dor neuropática e inflamatória, e um nível moderado de provas clínicas apoia a sua utilização para a dor crónica.

O CBD e a sua capacidade seborreguladora da pele

O sistema endocanabinóide da pele é crucial para manter a pele em equilíbrio e controlar a produção de sebo (lipogénese). Em condições normais, as glândulas sebáceas da pele são estimuladas pelo endocanabinóide anandamida (AEA). É este mesmo endocanabinóide que abranda a produção de sebo da pele quando este se acumula.

Vários estudos in vitro indicam que o CBD em uso tópico pode ser uma terapia eficaz no tratamento da acne, actuando sobre as vias relacionadas com a produção de sebo, a proliferação das glândulas sebáceas e a inflamação.

CBD para a acne

No domínio do CBD para o acne, um estudo sobre os efeitos do CBD e a sua influência nas glândulas sebáceas do estudo sobre os efeitos do CBD e a sua influência nas glândulas sebáceas. . As propriedades anti-inflamatórias do CBD diminuem as substâncias que o causam, e os investigadores acreditam que o efeito do CBD não se limita à interação direta com a produção de óleo nas glândulas sebáceas, mas pode ser mais complexo, sendo capaz de reverter um estado de desequilíbrio de óleo na pele.

CBD para a comichão ou prurido

O sistema endocanabinóide está envolvido no aparecimento e desenvolvimento da comichão na pele ou prurido. Os canabinóides actuam na complexa comunicação cutânea entre os queratinócitos, as células imunitárias (mastócitos) e os nervos sensoriais que dão origem à sensação de prurido. Estudos científicos demonstram atualmente que a administração de fitocanabinóides tem efeitos antipruriginosos.

Estas descobertas mostram o potencial do CBD de largo espetro para reduzir a comichão e a inflamação da pele, e em breve poderemos ver novos produtos com CBD em protectores solares, cremes para a comichão e géis de barbear.

No entanto, os mecanismos através dos quais estes compostos actuam são complexos, sendo necessária mais investigação. Por exemplo, curiosamente, e de acordo com os primeiros estudos realizados em animais, parece que o CBD seria mais eficaz no tratamento da comichão na parte inferior do corpo do que da comichão no rosto ou no couro cabeludo.

CBD na cicatrização de feridas

A cicatrização é um processo cutâneo complexo que ocorre em três fases: inflamação, proliferação e maturação ou remodelação do tecido.

O sistema endocanabinóide na pele modula o processo de cicatrização, intervindo nos processos de crescimento dos tecidos, nas funções dos fibroblastos e regulando a inflamação da pele.

O CBD como agente de cura da pele é um remédio ainda pouco estudado. Um relatório descreve que três pacientes que sofrem de epidermólise bolhosa (uma doença rara da pele caracterizada por dor e bolhas) tiveram uma cicatrização mais rápida, menos bolhas e melhoraram a dor com a utilização tópica de canabidiol.

Outro estudo in vitro sugere que o CBD em uso tópico teve efeitos na inflamação e na remodelação da pele, sendo o extrato de espetro total mais eficaz do que apenas o CBD isolado ou puro. Isto pode dever-se ao facto de o extrato canabinóide completo (CBD Full Spectrum) contém outros canabinóides, flavonóides e terpenos, que exerceriam um efeito anti-inflamatório sinérgico maior do que o CBD isolado.

CBD para a psoríase

A psoríase é uma doença crónica da pele caracterizada por manchas vermelhas e escamosas que provocam comichão na pele, aparecendo mais frequentemente nos joelhos, cotovelos, tronco e couro cabeludo.

Estas placas psoriáticas são causadas pela hiperproliferação dos queratinócitos e pela inflamação crónica da pele. Também ocorre uma desregulação das células imunitárias Th1 e Th17 da pele.

A este respeito, o CBD foi proposto como tratamento para a psoríase devido às suas propriedades anti-inflamatórias, antipruriginosas, analgésicas e imunitárias.

Um estudo mostra como o CBD tem a capacidade de travar os factores inflamatórios que desencadeiam a psoríase cutânea.

O CBD pode também interferir com outros processos da pele, como os efeitos anti-proliferativos nos queratinócitos, estimular a remoção de células danificadas da pele e afetar os processos de maturação e cicatrização da pele.

No entanto, um grupo de investigação descobriu possíveis efeitos proliferativos do CBD nas queratinas, e que é necessária uma experimentação mais robusta e comprovada para determinar a utilização do CBD nas lesões psoriáticas.

As interacções entre os fitocanabinóides e os vários sistemas do organismo são complexas e deixam muitas questões por responder. Todos os investigadores estão de acordo quanto à utilização prudente deste componente que, embora bem tolerado, deve ainda ser objeto de estudos mais aprofundados para determinar os mecanismos de ação. Por conseguinte, antes de utilizar o CBD para doenças de pele como a psoríase, recomendamos uma consulta e supervisão profissional.

Descubra o efeito do CBD na sua pele

Em suma, o CBD é um ingrediente cosmético excecional, capaz de influenciar o sistema endocanabinóide e a homeostase dos tecidos.

Estamos convencidos do potencial do CBD e das suas propriedades para a pele. Este componente, que já atraiu a indústria dermo-cosmética e farmacêutica, será certamente ainda mais falado no futuro.

Não hesite em partilhar a sua experiência com o CBD nas nossas redes sociais ou nos comentários. Gostaríamos de o ouvir!

Laura Salas
I&D Cannactiva | Cosmetologista de canábis. Especialista em canábis e cosméticos naturais com CBD

Mi Cesta0
There are no products in the cart!
Continue shopping
Conversa aberta
1
Precisa de ajuda?
Olá!
Podemos ajudar-vos?
Atenção Whatsapp (segunda a sexta-feira/ 11am-18pm)