Alemanha legaliza a marijuana

Alemanha legaliza a canábis

O Parlamento alemão aprovou hoje a lei que irá regulamentar a canábis com THC.

A Alemanha dá um passo histórico ao aprovar uma lei que permite o auto-cultivo e a distribuição de marijuana através de clubes de canábis para uso pessoal da planta. O regulamento entrará em vigor em 1 de abril de 2024.

Esta iniciativa vem da coligação governamental alemã, conhecida como a coligação “Semáforo”, composta pelo Partido Social Democrata, o Partido Democrata Livre e os Verdes, que finalmente chegaram a um acordo sobre a regulamentação da canábis para adultos. A legalização da canábis foi incluída na agenda política desta coligação após a sua vitória nas eleições de setembro de 2021.

Com o novo regulamento, será legal possuir e consumir marijuana(canábis com THC) no país, e novas parcerias no domínio da canábis poderão ser possíveis a partir de 1 de julho de 2024.

“Nas negociações, acordámos uma mudança de paradigma na política de drogas em relação à cannabis psicoactiva, reconhecendo expressamente a realidade social”, declararam os porta-vozes do Partido Social-Democrata (SPD), dos Verdes e do Partido da Liberdade (FDP) da Alemanha. A iniciativa recebeu um amplo apoio, com 407 votos a favor, 226 contra e quatro abstenções.

A aprovação do Parlamento alemão, ou Bundestag, por maioria, dá luz verde à lei que retira a canábis com THC da lista de substâncias proibidas pela Lei dos Estupefacientes do país e permite o cultivo conjunto através de clubes de canábis.

Como funciona a legalização da marijuana na Alemanha?

A legalização da marijuana na Alemanha incide exclusivamente no consumo pessoal e não na venda a retalho ou sem receita, como acontece nos dispensários de marijuana dos EUA ou nos coffeeshops de Amesterdão.

O Governo alemão propôs a criação de clubes sociais de canábis, que seriam associações sem fins lucrativos com um máximo de 500 membros. Estes membros, que devem ter mais de 18 anos de idade e residir na Alemanha, poderão comprar até 50 gramas por mês e um máximo de 25 gramas por dia. Este modelo de clubes é muito semelhante ao das associações de cannabis em Espanha. De facto, os alemães foram aconselhados pela Confederación de Federaciones de Asociaciones Cannábicas (ConFAC) em Espanha.

Acesso controlado e auto-cultivo

O projeto de lei descriminaliza a posse de um máximo de 50 gramas de marijuana e permite o auto-cultivo de um máximo de três plantas por pessoa.

O Parlamento alemão ou Bundestag.

Clubes de marijuana e controlo de preços

A lei permitirá que os cidadãos maiores de 18 anos comprem um máximo de 25 gramas de canábis, com um limite de 50 gramas por mês, através de associações de cultivo licenciadas, conhecidas como “clubes de marijuana”, cujo funcionamento faz lembrar as associações de canábis espanholas.

Não será permitida a venda livre de marijuana em lojas de qualquer tipo, headshops ou lojas de cultivo. As associações de cultivo de canábis licenciadas serão responsáveis pela distribuição da substância a preços próximos do custo, garantindo a sua qualidade. Cada associação pode ter um máximo de 500 membros (que devem ser maiores de idade e ter o seu domicílio ou residência habitual na Alemanha) e será proibida a publicidade relacionada com a canábis no exterior destas instalações. Só uma pessoa cuja “fiabilidade tenha sido verificada” será autorizada a dirigir estes clubes de canábis e o consumo será proibido no interior destes estabelecimentos.

Restrição do consumo em espaços públicos

A lei proíbe o consumo de canábis nas imediações de escolas, jardins-de-infância e parques infantis durante o dia, sendo a zona restrita de consumo de 100 metros.

Sanções menos severas

As penas por posse de cannabis foram atenuadas. A posse de quantidades de 25 a 30 gramas em espaços públicos e de 50 a 60 gramas em espaços privados será considerada uma infração administrativa. As infracções penais só serão aplicáveis à posse de quantidades que excedam essas quantidades.

Prevê-se que as multas potenciais por infracções relacionadas com a cannabis diminuam de um máximo de 100 000 euros para um máximo de 30 000 euros, por razões de proporcionalidade.

Objectivos da legalização

O Ministro Lauterbach sublinhou que esta medida representa uma “mudança a longo prazo na política alemã em matéria de droga” e tem por objetivo combater o mercado negro da cannabis no país, evitar a toxicidade de um produto manipulado sem controlo e travar o acesso dos jovens a outras drogas mais nocivas para a saúde.

Sensibilização para os riscos

Esta decisão legislativa histórica será acompanhada de uma vasta campanha de sensibilização que alertará o público para os riscos do THC, ou tetrahidrocanabinol, o principal componente psicoativo da marijuana, especialmente em crianças e adolescentes. Segundo Lauterbach, os jovens serão informados sobre os perigos associados ao consumo regular de canábis, que incluem danos cerebrais, um risco acrescido de surtos psicóticos e distúrbios de atenção não reversíveis.

Controvérsia sobre a legalização da canábis para adultos

A lei recentemente aprovada gerou controvérsia na Alemanha, uma vez que alguns grupos de consumidores de cannabis consideram que estabelece limites demasiado rígidos, enquanto a União Democrata-Cristã (CDU), na oposição, alertou para uma “perda de controlo” em resultado da legalização.

De acordo com a sondagem, 45% dos alemães são contra os planos de legalização, enquanto 40% são a favor e 15% estão indecisos. A análise por grupo etário revela variações significativas. Entre os jovens dos 18 aos 39 anos, quase metade apoia a legalização, enquanto entre os maiores de 65 anos, apenas um terço apoia a medida. Estas diferenças geracionais indicam que as percepções da legalização variam consideravelmente consoante a idade.

Apesar das críticas, o projeto de lei foi aprovado hoje pelo Parlamento alemão e entrará em vigor na próxima primavera de 2024.

Impacto da legalização da canábis na Alemanha

O projeto de lei, aprovado em agosto de 2023, baseou-se no estudo económico realizado por investigadores da Universidade Heinrich Heine de Düsseldorf, segundo o qual, estimava-se que o consumo de 400 toneladas de canábis por ano geraria cerca de 4,7 mil milhões de euros de receitas anuais para o Estado alemão.. Estas receitas seriam principalmente provenientes dos impostos sobre o canábis, mas incluiriam também outros impostos, contribuições sociais e empregos relacionados com a indústria do canábis.

Opiniões sobre a legalização da marijuana

Esta decisão marca uma mudança na política de drogas da Alemanha e junta-se a uma lista crescente de países que descriminalizaram ou legalizaram o consumo recreativo de marijuana. Na prática, regulamentar a canábis significa que esta será tributada e que a produção, a distribuição e o consumo serão controlados por um quadro regulamentar estatal. Outra alteração importante é o facto de permitir progressos no domínio da canábis medicinal.

Algumas pessoas não defendem a legalização, mas sim a despenalização da canábis e a revogação das leis proibicionistas.

Há ainda um caminho a percorrer no sentido da normalização do consumo e da revogação das leis proibicionistas, entendendo-se que o verdadeiro problema não é a marijuana em si, mas a abordagem punitiva e criminalizadora, e o estigma daí resultante, adoptada pela sociedade e pelo Estado. Falámos sobre este assunto no post sobre a legalização da marijuana na Europa.

Em todo o caso, a legalização da canábis na Alemanha representa uma mudança importante na política de droga do país e da Europa e deverá ter um impacto significativo na economia e na sociedade alemãs. Vamos estar atentos à evolução da situação!

Cannactiva
En Cannactiva queremos cambiar la perspectiva sobre el cannabis. Te traemos lo mejor de la planta a través de nuestros productos y de los posts que puedes leer en nuestro [...]

Mi Cesta0
There are no products in the cart!
Continue shopping
Conversa aberta
1
Precisa de ajuda?
Olá!
Podemos ajudar-vos?
Atenção Whatsapp (segunda a sexta-feira/ 11am-18pm)